Ciúmes

Quando as crianças têm ciúmes da mãe ou do pai


As reações das crianças são sempre surpreendentes. Um dos mais curiosos que podemos contemplar é o ciúme dos filhos de um dos pais. Quando os pais se abraçam ou se beijam, há alguns filhos que se irritam, expressando-se com gritos e choro para evitar que essa demonstração de carinho seja dada entre os pais. O que fazer quando os filhos têm ciúme da mãe ou do pai?

Crianças e, acima de tudo, crianças que não têm irmãos, naturalmente e inevitavelmente se apaixonam por um dos pais quando são pequenas. Este tipo de ciúme que os filhos sentem do pai ou da mãe os faz sofrer, mas ao mesmo tempo os ajuda a crescer e amadurecer.

Quando os filhos, se são pequenos, querem a mãe para si e não querem compartilhá-la com o pai, ou seja, o que o psicanalista chamou de complexo de Édipo. Enquanto isso, do outro lado estão as meninas, que querem o pai para si e é a mãe que atrapalha, o complexo de Electra.

Este complexo aparece entre três e sete anos. É uma fase normal de desenvolvimento onde os jovens eles são atraídos por um dos pais e começam a experimentar uma rejeição inconsciente do outro. Com o tempo, essa tendência desaparece, mas é preciso saber como lidar com a criança com essas emoções.

o ciúmes São uma emoção que a criança sente quando sente medo de perder algo, neste caso o amor, o carinho e a atenção do pai ou da mãe (em outras ocasiões pode ser produzido pela chegada de um irmão mais novo).

Os adultos vão perceber porque a criança começa a ter um comportamento diferente daquele a que estamos acostumados. Que sinais podem nos alertar de que a criança está com ciúme de um dos pais?

- Quando você e seu parceiro se abraçam ou fazem um gesto de carinho, ele atrapalha! A criança evita esse tipo de situação a todo custo.

- É quase impossível para você e seu marido ou esposa terem uma conversa fluida. O sempre interrompe você e tenta sabotar sua comunicação!

- Fisicamente, pode até ficar entre vocês de forma que não haja nenhum tipo de aproximação ou atrito.

- Sua linguagem é muito agressiva, principalmente com aquela figura que ele 'odeia momentaneamente'. É provável mesmo ouvir expressões como 'mamãe é meu' ou 'papai é meu'.

- Ele grita, chora ou cai no chão ao ver vocês dois juntos. Também pode ser que essas birras apareçam outras vezes com o simples objetivo de chamar sua atenção.

- Regressões. O desenvolvimento da criança é um processo que sempre vai para a frente, que avança, mas quando ocorrem momentos como o ciúme, o caminho pode ser revertido e retrocedido. Por exemplo, a criança volta a fazer xixi na cama, mancha a calcinha ou a cueca, ou quer dormir com chupeta.

- Distúrbios do sono. Também pode acontecer que a criança, que até agora não tinha problemas para adormecer, agora tenha mais dificuldade e até desperte no meio da noite.

- Mudanças de apetite. Os pais devem ficar atentos aos hábitos alimentares da criança, pois podem ser alterados. De se recusar a provar seu prato favorito, que seus pais preparam com tanto amor para ele, a sentir desejos incontroláveis ​​por comida o tempo todo.

Se a criança mostra ciúme de um de seus pais Ele tem todo o direito de o fazer e de o expressar. Ele quer um dos pais para ele e tem ciúme do outro e com essa atitude quer comandar e controlar o casal. Essa raiva deve ser respeitada, mas não deve interferir no relacionamento do casal, nem deve afetar o relacionamento familiar.

A criança deve ocupar seu lugar na família e para isso os pais não devem mudar seu comportamento em relação a ela ou ao casal. A criança deve gradualmente tomar consciência de que os pais são um casal e que ele não pode decidir em seu relacionamento. Quando os filhos estão nessa situação, os pais podem ajudar em várias atitudes. Aqui está uma lista das melhores dicas!

- Os pais devem considerar que esta fase que a criança atravessa é algo normal e temporário dentro de seu desenvolvimento.

- Não entre no jogo deles. A criança ficará confusa e os pais terão que ajudá-la. Em nenhum caso devemos afastá-lo, repreendê-lo ou gritar com ele, porque a única coisa que vamos conseguir é que ele sinta que realmente não tem o suficiente porque nos incomoda, e não é assim!

- Sem provocações. Para as crianças, pode ser um assunto muito sério, mesmo que nós, adultos, o consideremos "divertido". Se rirmos dessa circunstância, podemos estar causando na criança uma profunda ferida emocional.

- Os pais devem compreender e aceitar os sentimentos da criança. Assim, quando a criança fica brava com os pais, eles têm que respeitá-la, mas sem prestar muita atenção. Ou seja, escute-o, mas sem lhe dar explicações.

- Não pare de demonstrar carinho no casal na frente do filho. Graças a isso, a criança é ajudada a superar a fase do ciúme de forma saudável. Se pararmos com essas demonstrações de afeto, esse comportamento da criança será reforçado e, ao invés de ser amenizado, será acentuado.

- além de ter momento de intimidade com o parceiro a ser respeitado.

- Não fique com raiva. Pode ser que esse comportamento da criança te prejudique e no final você acabe discutindo com seu parceiro. Sempre que possível, não chegue a essa situação e, menos ainda, repreenda o outro na frente da criança. Você pensará que ganhou esta 'batalha particular'!

Quando essa situação ocorrer, os pais devem conversar com a criança para explicar que a mãe e o pai se amam muito, mas que também o amam e que isso nunca, nunca vai mudar. Também podemos trabalhar esse ciúme por meio de jogos (dramatização) ou lendo as histórias a seguir.

Você pode ler mais artigos semelhantes a Quando as crianças têm ciúmes da mãe ou do pai, na categoria Ciúme no local.


Vídeo: Como lidar quando os filhos têm ciúmes dos irmãos? (Novembro 2021).