Poemas

Paulo. Poema curto para ensinar as crianças o que fazer quando confrontadas com o bullying


O bullying é uma realidade nas salas de aula de todo o mundo. A educação em valores é a chave para acabar com esse flagelo perigoso, que põe em risco a autoestima, mas também a integridade de nossos filhos. Ter ferramentas para ensine as crianças o que fazer em caso de bullying que morem em sua faculdade é essencial. Para isso, Marisa Alonso escreveu um belo poema curto no qual fala sobre algumas crianças que decidem denunciar o caso de violência para ajudar um parceiro.

Após a poesia, deixamos alguns exercícios relacionados ao assunto, para que possam continuar trabalhando no assunto e propomos algumas dicas para que converse com seus filhos sobre o bullying seja mais simples.

O poema que propomos a seguir é composto por 5 estrofes, cada uma com 4 versos, que você goste muito e, acima de tudo, que ele ajude todas as crianças que estão vivendo uma experiência relacionada ao bullying!

Eles chamam Pablo de gordo

todas as manhãs na escola

eles são crianças muito cruéis

Vicente, Carlos e eu

falamos com Don Ramón,

nós não queremos Pablito

aguentar esta situação.

'Você fez a coisa certa

vamos procurar uma solução,

você deve estar orgulhoso '

No dia seguinte na escola

venha brincar com a gente

e seu apetite retorna.

Dom Ramón pisca para nós

e nos deu os parabéns,

como três bons amigos

com Pablito agimos.

Quando lermos este pequeno poema com as crianças, estaremos lhes dando orientações sobre como podem agir se estiverem passando pela mesma situação (ou um caso semelhante) na escola. Mas, além disso, podemos usar essa poesia para trabalhar linguagem e compreensão de leitura das crianças. Portanto, a seguir, propomos algumas atividades que você pode realizar com base em sua leitura.

1. Questões de compreensão de leitura
A primeira coisa a fazer é certificar-se de que as crianças prestaram atenção e compreenderam o que os versículos falam. Para isso, propomos a seguir algumas questões:

  • Que sinais de violência algumas crianças tiveram com Pablo?
  • O que os três amigos do poema decidem fazer?
  • O que o professor diz a eles?
  • Como termina o poema para Pablo?

2. Perguntas para pensar e falar sobre o bullying
Com este poema, podemos fazer as crianças pensarem sobre como devemos reagir se formos vítimas, agressores ou testemunhas de bullying. Para conduzir essa conversa, que deve ser tranquila e divertida, propomos algumas perguntas.

  • Pablo foi vítima de bullying? Por quê?
  • Você acha que os três amigos se deram bem em conversar com a professora?
  • Eles são delatores?
  • O que você teria feito na situação deles?
  • O que mais você acha que poderia ter feito para ajudar Pablo?
  • O que você faria se fosse Pablo?

3. Defina com suas palavras ...
Por fim, propomos um exercício interessante para as crianças, no qual devem tentar definir com suas próprias palavras alguns conceitos que aparecem no texto. É um exercício muito interessante de lógica e fala que pode levar a algumas respostas realmente criativas.

  • Cruel
  • Faça a coisa Certa
  • Ter orgulho
  • Apetite

No documento de Bullying ou Assédio publicado pela Unicef, o bullying é considerado a agressão para exercer poder sobre outra pessoa, sejam ameaças hostis, físicas ou verbais que se repetem ao longo do tempo e que angustiam a vítima. Como resultado, há um desequilíbrio entre quem o exerce e quem o sofre.

Falar sobre o bullying não é fácil, pois nenhum pai ou mãe quer que nossos filhos se envolvam, de forma alguma, nessa situação. É exatamente por isso que devemos conversar com nossos filhos sobre o bullying. E é que isso lhes dará as chaves para saber como agir em caso de presenciar ou vivenciar um caso de bullying.

- Aqueles que reportam são super-heróis
Há uma crença errônea de que aqueles que relatam o bullying que seus colegas sofrem são traiçoeiros ou furtivos. Nada poderia estar mais longe da verdade! São os super-heróis absolutos que ajudam, como neste poema que lemos, os camaradas que sofrem. Devemos transmitir esta mensagem aos nossos filhos para que se atrevam a relatar situações de bullying que veem ao seu redor.

- Vítima, agressor e testemunha
No bullying, existem diferentes posições em que nossos filhos podem se encontrar. Devemos estar cientes de que, embora nem gostemos, nossos filhos também podem ser os agressores. Mas não importa qual seja a nossa posição, os pais precisam permanecer com a mente clara e fazer um exercício de empatia para encerrar a situação da melhor maneira.

- O cyberbullying também existe
Principalmente se somos pais de crianças mais velhas ou adolescentes, que já possuem redes sociais ou usam a Internet com mais frequência, devemos lembrar que também existe o cyberbullying. Isso significa que as humilhações e insultos também são transferidos para o mundo virtual.

- Ensine às crianças empatia
Valores como empatia, gentileza, generosidade ou gentileza são muito importantes para que as crianças não normalizem as situações de bullying.

- Crie uma comunicação afetiva e eficaz em casa
É importante criar um hábito de comunicação e diálogo ativos em casa, para que as crianças tenham a confiança de nos contar quando estão passando por uma situação difícil na escola, seja porque são vítimas ou porque conhecem alguém que é.

Mais recursos sobre bullying para crianças

Você pode ler mais artigos semelhantes a Paulo. Poema curto para ensinar as crianças o que fazer quando confrontadas com o bullying, na categoria Poemas no site.


Vídeo: E se? - Bráulio Bessa (Novembro 2021).