Depressão e ansiedade

O impacto psicológico da quarentena do coronavírus em crianças

O impacto psicológico da quarentena do coronavírus em crianças


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Limitar o movimento dos cidadãos, tanto quanto possível, é uma das medidas que as autoridades em todo o mundo têm recomendado para impedir a disseminação da COVID-19 em todo o mundo. Todos nós devemos ficar em casa, no entanto, o bloqueio e a quarentena podem ter um impacto psicológico negativo nas crianças (e também nos pais), então desta vez a gente se preocupa em encontrar uma forma de diminuir suas consequências.

Quando a quarentena começa, as pessoas 'desaparecem' da vida pública de um momento para o outro. Os aspectos psicológicos e motivacionais dos indivíduos são essenciais para garantir o sucesso desta medida de isolamento. Mas Conforme os dias passam, eles podem começar a cambalear.

Como foi comprovado, entre os adultos em confinamento, existe um risco maior de sofrer alguns problemas psicológicos, como depressão, distanciamento, estresse pós-traumático, raiva ou aumento da irritabilidade, fadiga, insônia ou angústia. O efeito dessas complicações também pode ser detectado meses e até anos depois.

Crianças são muito mais resistente do que os adultos aos efeitos psicológicos do isolamento, mas eles não são completamente imunes. A mudança em suas rotinas, o 'bombardeio' contínuo de notícias, ou não conseguir satisfazer suas necessidades básicas como correr, pular, brincar com os amigos, etc. pode causar estresse e ter um grande impacto emocional sobre eles.

Os diversos estudos que já estão sendo realizados a partir das semanas em reclusão, constataram que depois de tanto tempo em casa os pequenos perderam os hábitos e tendem a ficar muito mais irritáveis, o que provoca acessos de raiva e momentos de raiva. Vários são os especialistas que falam também da tristeza das crianças nos dias de hoje, o que pode acabar resultando em um estresse pós-traumático que afetaria os mais pequenos a médio prazo.

Dependendo do tipo de personalidade e caráter da criança, diferentes efeitos psicológicos podem ocorrer:

- Crianças que são mais sensíveis Eles tendem a se sentir muito oprimidos por estímulos, por mudanças repentinas e, acima de tudo, pela angústia emocional dos outros. Esses tipos de crianças podem chorar com mais frequência e ter distúrbios do sono, como terrores noturnos ou pesadelos.

- Crianças com temperamento difícil Freqüentemente, eles têm problemas para aceitar instruções e regras e são mais propensos a responder de maneira inadequada. Esse tipo de criança experimentará uma rebelião maior contra a quarentena, além de mudanças de humor e tédio.

Na quarentena do coronavírus, os adultos devem ser ativos para combater todos os efeitos psicológicos negativos que produz isolamento tanto em nós mesmos, como nas crianças e no resto da família.

Em relação aos mais pequenos, será necessário que:

1. Estabelecer rotinas
A principal tarefa dos pais será a criação de rotinas que proporcionem segurança e estabilidade aos pequenos nesta situação excepcional. As crianças devem entender que não são férias. Portanto, definir uma programação será muito importante para ajudá-lo a saber o que vai acontecer. Este 'programa' incluirá os diferentes horários do dia, como refeições, horários de estudo, tarefas como limpar o quarto, fazer a cama, etc.

2. Seja mais tolerante
Hoje em dia, crianças e adultos podem ficar mais nervosos. É importante ser um pouco mais tolerante com o comportamento dos mais pequenos. Para isso, será importante saber manejar as ferramentas necessárias para administrar situações como brigas entre irmãos, acessos de raiva, etc. Os adultos têm que ser pacientes, firmes e usar o bom senso.

[Leia +: Como fazer uma garrafa caseira de calmante]

3. O bom uso da tecnologia
Consoles, computadores, televisão, celular e tablet podem ser grandes aliados, principalmente nos momentos do dia em que a energia das crianças fica mais deprimida para realizar outros tipos de atividades em que é necessária muito mais concentração. Mas sempre controlando seu uso!

4. Mantenha contato com outras pessoas
Somos 'animais sociais' e, como tal, precisamos nos relacionar com outras pessoas. Será importante telefonar ou fazer videochamadas para amigos ou familiares para se manter em contacto e combater os medos e as incertezas desta nova e estressante situação para os mais pequenos.

5. Relaxar
É necessário combater a irritabilidade. Você tem que se acalmar e deixar o desconforto de lado. Para isso, os pais podem se revezar no cuidado dos filhos e com algum tempo para si (ou teletrabalho sem distrações).

6. Fale com as crianças sobre isso
Para fazer isso, os pais devem adaptar a mensagem que desejam passar à idade e maturidade de seus filhos. Tudo o que é dito deve ser verdadeiro e usar a sinceridade.

7. Atividades familiares
Você não pode sair, mas pode continuar fazendo atividades familiares, como assistir filmes juntos, jogar jogos de tabuleiro, etc. Isso ajudará os mais pequenos a lidar melhor com o isolamento.

8. Entenda a realidade que vivemos
No manual fornecido pelo Colégio Oficial de Psicólogos de Madrid (Espanha), intitulado 'Diretrizes para o manejo psicológico da quarentena por coronavírus', recomenda-se também que tomemos consciência da realidade que vivemos. Infelizmente a situação é o que é, temos que ficar em casa para que o vírus pare de se espalhar, portanto temos que aceitar a situação e nos fortalecermos sabendo que, embora seja um sacrifício, estamos fazendo a coisa certa; estamos agindo com responsabilidade.

Você pode ler mais artigos semelhantes a O impacto psicológico da quarentena do coronavírus em crianças, na categoria Depressão e ansiedade no local.


Vídeo: Atendimento Online - Aula Completa (Julho 2022).


Comentários:

  1. Mamuro

    Há algo sobre isso, e é uma boa ideia. Estou pronto para apoiá-lo.

  2. Bagul

    A dor não pode ser medida com lágrimas.

  3. Faum

    eu ainda sou nada é ouvido



Escreve uma mensagem