Linguagem - Fonoaudiologia

O que as crianças precisam para ter uma conversa fluente

O que as crianças precisam para ter uma conversa fluente


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Muito antes de começar a falar, as crianças conversam com as mães em 'protoconversas', que ocorrem desde os primeiros meses de vida na hora da mamada, troca de fralda, banho ... Essas primeiras conversas já têm os componentes básicos encontrado em conversas de adultos, contato visual e atenção conjunta, mas algo está faltando. O que uma criança precisa para ter uma conversa eficaz e como você pode ajudá-la a desenvolver essa habilidade? Eu digo a você nas seguintes linhas.

Durante o primeiro ano de vida, as crianças adquirem desde cedo habilidades de interação social. Eles continuam a se desenvolver ao longo da infância, possibilitando que tenham conversas adequadas mais tarde. A que habilidades estamos nos referindo?

- Contato e monitoramento visual
Aos 2 meses, eles seguram e acompanham as mudanças na direção do olhar do adulto com o olhar.

- Atenção Conjunta
Por volta dos 6 meses, os bebês podem compartilhar sua atenção com outra pessoa em relação a um objeto ou evento. A mãe mostra-lhe um brinquedo e a criança alterna a atenção entre o brinquedo e a mãe. Eles estão compartilhando algo juntos!

- Iniciação e manutenção da interação social por si só
A criança e o adulto trabalham para construir ritmos de interação. Existem pausas, tempos de espera, expectativa e interesse na resposta do outro. Isso é essencial para manter a interação.

- Estabelecendo turnos para falar
Numa conversa, um ouve e o outro fala, dando assim uma alternância da palavra. É a partir dos 4 anos que a criança consegue respeitar as voltas nas trocas verbais.

- Manutenção do tema
Por volta dos 5 anos de idade, as crianças podem manter o mesmo tópico na conversa, embora ainda dependam do adulto para continuar o fio do discurso.

- Compreensão de relacionamentos
Consiste em saber como responder adequadamente a uma variedade de pessoas em diferentes contextos. Tem a ver com a forma como o falante se ajusta ao contexto e ao status do interlocutor. Falar com um professor não é o mesmo que falar com um familiar ou amigo. Entre 4 e 5 anos, as crianças podem se adaptar ao meio social e modificar sua forma de se expressar conforme seja parente ou não.

- Estratégias de reparo
Tem a ver com a capacidade de superar situações de mal-entendido entre a criança e o adulto. Após 3 anos, as crianças podem pedir esclarecimentos: 'O quê?' ou 'Não entendo'. Aos 4 anos, eles podem reparar mal-entendidos com eficácia.

- Forneça informações relevantes
Trata-se de dar as informações que o interlocutor precisa para ser capaz de compreender o assunto em questão, avaliar se as informações são suficientes ou insuficientes, se há informações anteriores que o interlocutor não conhece ou não conhece e fornecer os dados necessários para que a conversa seja eficaz. Essa habilidade é adquirida por volta dos 6 anos de idade e aumenta rapidamente após os 7 anos.

E agora é hora de brincar, quer dizer, ensinar a criança de forma lúdica a desenvolver uma conversa. Aqui estão algumas idéias!

- Jogos básicos de virada
Desde muito jovem, esse aspecto pode ser trabalhado com brincadeiras como jogar bola um no outro, jogar carros em turnos, pular, fazer cócegas ... Essas atividades permitem que a criança compreenda a alternância de curvas e aprenda a esperar e observar o outro. enquanto espera.

- Jogo de token
Crie pequenos roteiros para as conversas que os brinquedos vão desempenhar e que serão semelhantes às que uma criança pode ter. Nesses scripts, a criança pode ser ajudada a aprender a fazer perguntas: 'Qual é o seu nome? ou você tem irmãos? '; consertar mal-entendidos: 'Desculpe, não ouvi bem' ou 'O que você disse?' e, também, faça comentários: 'Que lindo é o seu vestido'.

- Jogos de tabuleiro
Lotos, dominó, jogos de associação, memória, jogo do ganso, Parcheesi ... Nestes jogos é preciso respeitar voltas e regras e, além disso, fornecem modelos verbais estáveis: 'Agora é a sua vez', 'É a minha vez' ou 'Posso começar?' Esses tipos de jogos favorecem o aprendizado das regras implícitas que fundamentam uma conversa.

- Roteiros e dramatizações de teatro
Escrever roteiros dramáticos juntos para representar com seus brinquedos ou fantoches favoritos irá ajudá-lo a ter conversas inventadas, revezar para cada personagem, fazer os personagens falarem e se divertir!

- Jogo de detetive ou jornalista
A criança deve buscar informações sobre uma terceira pessoa (pode ser uma tia, professora, avó ...). Podemos ajudá-lo em primeiro lugar, dando-lhe o modelo de perguntas: 'Qual é a sua comida favorita? Você tem um cachorro? Para onde você saiu de férias? ' Então você pode passar para um segundo nível, no qual a criança deve fazer seu próprio questionário.

- Pomba mensageira
A criança deve entregar uma mensagem verbal a outra pessoa que possa estar em outra sala e o fará por telefone ou videochamada. Nesta atividade, você deve fornecer informações relevantes com os dados que o interlocutor precisa para entender a mensagem e, caso não seja entendido, deve-se utilizar estratégias para repará-la.

- Leitura e dramatização de banda desenhada e banda desenhada
Usando quadrinhos ou quadrinhos que você tem em casa, encene diálogos e conversas.

Você pode ler mais artigos semelhantes a O que as crianças precisam para ter uma conversa fluente, na categoria Idioma - Fonoaudiologia presencial.


Vídeo: CRIANÇAS PRECISAM DE COMIDA DE VERDADE - VAMOS CONVERSAR MAIS UM POUCO SOBRE ALIMENTAÇÃO INFANTIL (Julho 2022).


Comentários:

  1. Kera

    Posso procurar um link para um site com informações sobre um tópico de interesse para você.

  2. Braemwiella

    Deve ficar claro!

  3. Polak

    Sim, de fato. Tudo isso é verdadeiro. Podemos nos comunicar sobre este tema. Aqui ou em PM.

  4. Mikakasa

    Desculpe, postar excluído



Escreve uma mensagem